5 de julho de 2011

Imensurável.

Não, eu não era capaz de medir o tamanho da minha felicidade naquele exato momento.
[...] Corri como uma criança até ele, meus pertences se espalhando pelo chão, voavam com o vento que fazia meu casaco no vazio da noite; a neblina sobre mim fazia meus olhos congelar e avisava a minha garganta de uma possivel inflamação.
Eu pouco me importava com tudo, quando o vi nem se quer me importava com o mundo. Os passos longos e rapidos que dava pareciam fazer aumentar o percurso; mas cheguei...finalmente o abracei, e não haveria nada que pudesse me afastar dele naquele instante, ele me pertencia naquele momento assim como meu coração o pertenceu por 'tanto tempo'.
Eu estava ofegante, ombros cansados, pés sujos, quase me faltavam forças, mas eu ainda precisava, estivera preso em mim por 'tantos e tantos dias', precisava dizer a ele, e então saiu assim mansinho, bem perto do ouvido, bem baixinho: "eu amo você; meu mundo é você."

[dos relatos e sonhos da vida]

Por Lahis Nascimento Batista

Um comentário:

♥ Luciana Mira ♥ disse...

QUe lindo seu blog e suas palavras. Amei e estou sesguindo. Beijos